Governo do Estado de São Paulo

Secretaria de Planejamento e Gestão

Conjuntura Econômica

DESTAQUES DA SINOPSE ECONÔMICA

Período de 05 a 11 outubro de 2017

 

Ao longo desta semana, alguns indicadores revelaram pequenos recuos em relação ao comportamento dos últimos meses. Esses sinais, entretanto, devem ser entendidos como esperados em um processo de retomada econômica como o atual cenário nacional.

Quando se avalia os resultados obtidos em agosto/17 na produção industrial e no comércio  percebe-se que, na comparação com igual período do ano passado e no acumulado dos  últimos 12 meses, a tendência de melhora continua presente. Nesse sentido, atenção especial deve ser dada a esses indicadores nos próximos meses.

Seguem abaixo, os principais destaques desta semana:  

  1. inflação: o resultado do IPCA/IBGE de setembro de 0,16%, representa, no acumulado de doze meses, um valor de 2,54%, o que reforça  a expectativa de que índice de inflação oficial chegue em dezembro/17 abaixo de 3%. Seria a primeira vez, desde a implantação do sistema de metas de inflação em 1999, que o IPCA ficaria abaixo do piso da meta.
  2. produção industrial de São Paulo: queda de 1,4% em agosto (com ajuste sazonal) em relação ao mês anterior. Apesar desse resultado, segue firme a trajetória de recuperação, uma vez que a variação interanual, a acumulada no ano e nos últimos doze meses foram positivas de, respectivamente, 6,6%, 1,5% e 0,4%. 
  3. produção brasileira de autoveículos: segundo a Anfavea, em setembro/17, a produção nacional de autoveículos manteve seu ritmo ascendente, revelando um crescimento, no acumulado do ano, de 27% quando comparado aos nove meses de 2016.
  4. balança comercial do Estado de São Paulo: mantém a tendência atingindo, no acumulado dos últimos 12 meses, finalizado em setembro/17, déficit de US$ 4,1 bilhões, sendo US$ 53,8 bilhões de importações e US$ 49,7 bilhões de exportações.
  5. previsão do PIB: No último relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), a previsão de expectativa de crescimento do PIB brasileiro para 2017 saltou de 0,3% para 0,7%. Para o crescimento positivo deste ano o FMI destacou, como principais fatores, a safra agrícola recorde e o impulso para o consumo dado com a liberação dos saques nas contas do FGTS.

 

A Sinopse Econômica completa, cobrindo o período de 05 a 11 de outubro/17, encontra-se a seguir.