Notícias

Maio Amarelo: SP promove ações de conscientização no trânsito

03/05/2017 17:06

 

Movimento Paulista de Segurança no Trânsito e municípios conveniados incentivam população a adotar práticas seguras em ruas e rodovias

Para conscientizar a população sobre comportamentos de risco no trânsito, o governo de São Paulo realiza mais de 400 iniciativas neste sentido no período em que são celebrados a Semana Mundial de Segurança no Trânsito da ONU e o início do Maio Amarelo (movimento mundial que visa alertar a sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito).

As ações envolvem órgãos como o Detran.SP, ARTESP, Polícia Militar e os municípios conveniados ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do governo que tem como objetivo reduzir em 50% o número de mortes no Estado até 2020.

“O trânsito hoje mata mais do que os homicídios em São Paulo. Investir na redução de acidentes é uma questão de segurança pública. Por isso, o Movimento Paulista já atua em 67 municípios que juntos correspondem a 71% da população do Estado, identificando pontos críticos e mobilizando as prefeituras e demais parceiros para promover um trânsito mais seguro e humano”, afirma Silvia Lisboa, coordenadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

A comparação com a taxa de homicídios é um indicativo da seriedade do problema. Em 2016, segundo a Secretaria de Segurança Pública, o Estado de São Paulo registrou taxa de 8,1 homicídios a cada 100 mil habitantes. Já os acidentes de trânsito correspondem a 13,2 óbitos por 100 mil habitantes. A estatística nacional aponta 21 mortes a cada 100 mil pessoas, segundo o último DATASUS, de 2014.

E o fator humano é a principal causa de acidentes fatais no Estado de São Paulo, segundo o INFOSIGA SP, sistema do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito que monitora ocorrências nos 645 municípios do Estado. Os dados mostram que 94% das mortes são causadas por comportamentos de risco, como excesso de velocidade, não uso do cinto de segurança, celular e bebida ao volante e travessia em locais proibidos.

Foca no Trânsito!
Em parceria com Detran e Artesp, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito colocou nas ruas uma nova companha de conscientização, cujo tema é “Foca no Trânsito”. Inspirada em memes das redes sociais, a campanha foi lançada na última segunda-feira (dia 1º) e dissemina mensagens de uma simpática foca alertando para comportamentos de risco e incentivando o uso das faixas de pedestre, além de passar a mensagem de que bebida e trânsito não combinam.

“Nosso intuito é conscientizar as pessoas de que, com uma mudança de comportamento, podemos reduzir drasticamente o número de mortes no trânsito. Precisamos do engajamento de todos os cidadãos para mudar essa grave realidade”, pontua Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran.SP.

As rodovias estaduais sob concessão terão mensagens de segurança em 900 cancelas de pedágio, iniciativa da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP). Outro destaque será a realização de 40 edições do Viagem Segura, ação que leva para as cidades atendidas pelas rodovias o Rodovirtua – óculos de realidade virtual desenvolvido por ARTESP e DER que permite vivenciar a sensação de dirigir sob o efeito do álcool.

A Polícia Militar, através do Comando de Policiamento Rodoviário, promoverá 150 campanhas educativas ao longo de 22 mil quilômetros de rodovias estaduais, além de operações de fiscalização.

Redução de mortes no 1º trimestre
No primeiro trimestre deste ano, foi registrada redução de 4,7% nas mortes no trânsito em comparação com mesmo período de 2016 (1.297 fatalidades). Segundo o INFOSIGA SP, 79,9% das vítimas são homens e 26,1% jovens com idade entre 18 e 29 anos.

“Quando analisamos as ocorrências, vemos que os condutores representam quase metade das vítimas. Também verificamos uma concentração de ocorrências à noite e madrugada, período que corresponde a 52,9% dos acidentes fatais”, afirma Lisboa.

Ainda de acordo com o INFOSIGA SP, colisões são o principal tipo de acidente fatal, responsáveis por 37,8% das mortes, seguidas dos atropelamentos (29,5%). As motocicletas representam 34% do total de veículos envolvidos nas ocorrências com morte; os automóveis correspondem a 21,3%.

(Fonte: Secom)